Na última terça-feira (14), o Município de Chaves recebeu a visita de técnicos do 7° Centro Regional de Saúde (CRS) e do Laboratório Central do Estado vinculado à Secretaria de Saúde Pública do Pará (LACEN/SESPA). Os profissionais apresentaram as ações de Vigilância Entomológica a serem desenvolvidas em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Chaves para detecção da infestação por Aedes aegypti, além de treinamento in loco para os recursos humanos do município utilizando o protocolo das armadilhas ovitrampas.

De acordo com a Secretária de Saúde do município,  Paula Ribeiro, foram distribuídos na área urbana 80 armadilhas (01 armadilha/quarteirão), instaladas em pontos específicos por 04 equipes compostas por agentes de saúde que ficarão em campo por 12 dias. "As armadilhas serão monitoradas durante este período, entretanto, as palhetas recolhidas serão analisadas pelo técnico do LACEN juntamente com a equipe de vigilância epidemiológica municipal que receberá treinamento no decorrer das atividades", informou a Secretária.



Método ovitrampas - O método consiste no uso de armadilhas que atraem as fêmeas ‘grávidas’.
As ovitrampas simulam o ambiente ideal para a procriação do Aedes aegypti: um vaso de planta preto é preenchido com água, que fica parada, atraindo o mosquito. Nele, os pesquisadores inserem uma palheta de madeira, que facilita que a fêmea do Aedes coloque ovos. Dentro do recipiente, é colocada uma substância larvicida.
Tendo em mãos as informações colhidas com o método, os agentes de saúde serão capazes de identificar as regiões com maior incidência de infestação do Aedes e intensificar os trabalhos nas localidades. Dessa forma, os vigilantes conseguem observar de maneira mais rápida e eficiente a quantidade de mosquitos nas ovitrampas sem que o inseto se desenvolva.